quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Cortejo Funébre- por Camila Bernardini


Você era meu rei

Eu era a sua rainha

Nosso amor foi nosso castelo

Sua vida foi a minha

Sem vc sou soberana

de um castelo vazio e triste

Tristeza de saber que já não me ama

Me perco nos becos sem saída

Essa angústia que me chama

estou de luto pela minha própria morte

Em meu peito está aprisionado a dor

Já não consigo ser tão forte

Nem esquecer a droga desse amor

Feroz da angústia que não termina

Não se aquetas

Este é o lamento funébre que me acompanha

O cortejo da minha infelicidade

Meu corpo ainda vive

assombrado pela saudade

Mas a minah alma já esta morta

Sem nenhuma piedade

Um comentário:

Sarah disse...

Putz profundo p caramba, não seria mulher se não confessasse que eu chorei(foi estranho, parei no meio para pegar um lenço e depois voltei) A melhor poesia romantica que eu já vi! Me rendo! Você me impressionou. Expetacular. Só uma pergunta de onde arrumou inspiração p fazer uma poesia dessas? Me conta p mim ir lá buscar um pquinho p mim!

Bjo de uma fã puxa-saco!

Sarah Miller